Click na Viagem

Viajando pelo Mato Grosso: 8 cidades em 26 dias

No mês de novembro estive no estado do Mato Grosso, e mesmo sem planejar acabei conhecendo 8 cidades, onde pude apreciar a cultura, culinária local e as belezas naturais que enchem os olhos de todos os visitantes.

Minha primeira parada foi em Várzea Grande onde fiquei hospedada durante 4 dias em uma casa de família que conheci pelo Couchsurfing. Eles foram muito atenciosos e me levaram para conhecer atrativos em Cuiabá e na Chapada dos Guimarães:

Parque das Águas

Localizado na região central de Cuiabá, é uma grande área de convivência e prática de esportes. Conta com estacionamento, banheiros, pista de corrida e caminhada, ciclovia, academia ao ar livre, parquinhos infantis, túnel de água e praça de alimentação. No período da noite o visitante pode assistir ao Show das Águas, momento em que as águas da Lagoa Paiaguás são embaladas por som, luz e cor.

Parque das Águas em Cuiabá

Show das águas na Lagoa Paiaguás

Trilha do Mel

Fica a cerca de 13 km da Chapada dos Guimarães, 1 km depois do Portão do Inferno, para quem vem de Cuiabá. A entrada é na Casa do Mel e o valor do ingresso por pessoa é de R$ 20,00 durante a semana e R$25,00 nos finais de semana e feriados. O local conta com estacionamento, banheiros, restaurante, pousada e loja de souvenirs. A trilha é de 6 km, ida e volta, e ao chegar no topo se tem uma linda vista dos paredões da Chapada.

Trilha do Mel na Chapada dos Guimarães

Vista da Chapada dos Guimarães ao chegar no final da Trilha do Mel

Formações rochosas na Chapada dos Guimarães

Formações rochosas encontradas durante a Trilha do Mel

Trilha do Mel

Topo das formações rochosas na trilha

Cachoeirinha

O acesso é feito pela mesma entrada que leva a Cachoeira Véu da Noiva e a trilha até o local tem pouco mais de 1 km. A cachoeira tem 18 metros de altura e há uma grande piscina natural no local. Não há cobrança de ingresso para visitação.

Cachoeirinha na Chapada dos Guimarães

A Cachoeirinha é um local muito procurado por locais para passar o dia com a família e amigos

Enquanto estive em Várzea Grande também passei um dia em Bom Jardim, distrito de Nobres, e lá visitei os seguintes lugares:

Aquário Encantado

Formado por 3 nascentes, o aquário natural chega a 7 metros de profundidade e durante a flutuação de 800 metros pelo Rio Salobra, é possível encontrar várias espécies de peixes em meio ao tom verde da vegetação e azulado da água cristalina.

Aquário Encantado em Bom Jardim, distrito de Nobres

O calcário é responsável pela transparência da água do aquário

Calcário em Bom Jardim

Paredes de calcário submersas

Peixes no Aquário Encantado em Bom Jardim

Peixinhos avistados durante a flutuação

Balneário Estivado

Fica logo na entrada de Bom Jardim e possui uma piscina natural rasa de água cristalina onde é possível nadar e encontrar algumas espécies de peixes.

Balneário Estivado em Bom Jardim, Nobres

Registro feito do deck do Balneário Estivado. O local não acomoda grande quantidade de visitantes e é mais recomendado para famílias com crianças, que se divertem com os peixes

Peixes no Balneário Estivado em Nobres

Peixes avistados durante flutuação na piscina natural no balneário

Lagoa das Araras

Local destinado a observação de aves, especialmente araras canindé, que podem ser encontradas em maior quantidade ao entardecer. A lagoa é cercada de buritis, procuradas por algumas espécies de aves para instalação de seus ninhos. É um espetáculo de som e cor que enche os olhos daqueles que apreciam a natureza.

Lagoa das Araras em Bom Jardim

Bela imagem do reflexo das nuves e buritis na água da lagoa

Araras na Lagoa das Araras em Nobres

Araras sobrevoando a lagoa

Arara canindé na Lagoa das Araras

Arara canindé em busca de alimento

Seguindo viagem, por intermédio de alguns amigos, passei mais alguns dias em Primavera do Leste, Vila Paredão Grande (distrito de General Carneiro), e Barra do Garças, divisa com a cidade de Aragarças/GO.

Lago em Primavera do Leste

Lago municipal Vô Pedro Viana em Primavera do Leste

Paredões em General Carneiro

Trilha dos paredões na Vila Paredão Grande

Cachoeira em General Carneiro

Cachoeira na Vila Paredão Grande

Cachoeira em General Carneiro

Cachoeira na Vila Paredão Grande

Barra do Garças

Parque das Águas Quentes em Barra do Garças

O local onde passei mais tempo, foi na Chapada dos Guimarães, onde por 2 semanas atuei como voluntária através do Worldpackers na Pousada do Parque. Trabalhei na recepção da pousada e em troca tinha acomodação e alimentação livre. O local faz parte dos Roteiros de Charme e é um lugar muito especial e recomendado para o visitante que busca tranquilidade e contato com a natureza. É muito procurado por grupos de estrangeiros que fazem observação de aves, mas na reserva também são encontrados outros animais, como preá, lagarto, lobo guará, veado, lobinho, tatu, cobras e onça pintada. No período em que fiquei na Chapada visitei os locais abaixo:

Cachoeira da Geladeira

É uma das mais visitadas da Chapada dos Guimarães por contar com uma piscina natural que atrai aqueles que gostam de nadar. Está localizada a 12 km da área central da cidade e para acessá-la o visitante precisa andar durante 15 minutos por uma trilha de nível moderado, que inclui obstáculos como degraus. O valor da entrada é de R$10,00 e o local está aberto diariamente.

Cachoeira da Geladeira na Chapada dos Guimarães

Cachoeira da Geladeira

Cachoeira do Segredo

Leva este nome pois somente alguns moradores da Chapada a conhecem, e geralmente fica fora da lista de visitantes. As pedras que formam a cachoeira são como uma escadaria com poucos degraus, o que permite ao visitante sentar confortavelmente embaixo da queda e receber uma boa massagem. Não há cobrança de ingresso para visitar o local e o acesso fica a esquerda do Centro Geodésico, sentido Chapada/Campo Verde, 9 km do centro da cidade. Após pegar a estrada de terra é necessário percorrer mais alguns km e então acessar a trilha que dá na cachoeira. Recomenda-se ir até o local com alguém que conheça o caminho, pois não há sinalização.

Cachoeira do Segredo na Chapada dos Guimarães

Cachoeira do Segredo

Cachoeira Véu da Noiva

As águas do Rio Coxipó dão origem a cachoeira, considerado cartão postal da Chapada dos Guimarães. Seus 86 metros de queda, assim como os belos paredões que a cercam, podem ser observados de um mirante que fica a 500 metros do estacionamento e portão de acesso a cachoeira. Para visitá-la basta seguir a MT-251 no sentido Chapada/Cuiabá. O acesso fica do lado esquerdo da rodovia, 12 km do centro da cidade. O local está aberto para visitação diariamente e a entrada é gratuita.

Cachoeira Véu da Noiva na Chapada dos Guimarães

Cachoeira Véu da Noiva

Mirante Cachoeira Véu da Noiva

Paredões que são avistados do mirante da cachoeira

Cidade de Pedras

As formações rochosas moldadas pela força da natureza deram origem ao nome do atrativo. O lugar guarda uma das paisagens mais exuberantes da Chapada, a qual pode ser vista de mirantes ao longo da trilha. Os paredões que abraçam o Vale do Rio Claro chegam a 350 metros de desnível e sua grandiosidade faz com que o visitante queira passar horas contemplando-os. Considerando os riscos, o acesso a Cidade de Pedras deve ser feito com o acompanhamento de um guia de turismo autorizado pelo Parque Nacional da Chapada dos Guimarães e com veículo 4×4, seguindo a estrada para o Distrito de Água Fria, a 26 km do centro da cidade.

Cidade de Pedras na Chapada dos Guimarães

Formações rochosas que deram origem ao nome do lugar

Cidade de Pedras na Chapada dos Guimarães

Formações rochosas que deram origem ao nome do lugar

Vale do Rio Claro na Chapada dos Guimarães

Paredões do Vale do Rio Claro

Circuito das Cavernas e Cachoeira do Almíscar

É um passeio guiado, onde é percorrida uma trilha de 12 km (ida e volta), que inclui visitação às cavernas Aroe Jari, a maior caverna de arenito do Brasil com 1,5 km de extensão, Lagoa Azul, Kiogo Brado e Pobe Jari, passando ainda pela Ponte de Pedra, Pedra dos Três Apoios e finalizando com um banho na Cachoeira do Almíscar ou do Relógio. As atrações estão localizadas na Fazenda Água Fria, aproximadamente 30 km do centro da cidade, no sentido Chapada/Campo Verde, e o valor da entrada é de R$65,00.

Caverna Lagoa Azul na Chapada dos Guimarães

Caverna Lagoa Azul

Caverna Kiogo Brado na Chapada dos Guimarães

Caverna Kiogo Brado

Caverna Pobe Jari na Chapada dos Guimarães

Caverna Pobe Jari

Caverna Aroe Jari na Chapada dos Guimarães

Caverna Aroe Jari

Caverna Aroe Jari

Água que brota do teto da Caverna Aroe Jari

Pedra dos Três Apoios na Chapada dos Guimarães

Pedra dos Três Apoios

Ponte de Pedra na Chapada dos Guimarães

Ponte de Pedra

Cachoeira do Almíscar ou do Relógio na Chapada dos Guimarães

Cachoeira do Almíscar ou do Relógio

Mirante Alto do Céu

Localizado a 17 km do centro da cidade, está aberto diariamente e o valor da entrada é de R$20,00. Para chegar até o deck onde é possível apreciar a bela vista, o visitante precisa percorrer uma trilha de 600 metros de nível fácil. O local também é muito visitado para observação de aves e pela formação rochosa que se assemelha a um gigante olhando para o céu.

Mirante Alto do Céu na Chapada dos Guimarães

Pôr do sol visto do mirante

Vale avistado do Mirante Alto do Céu

Vista do vale

Gigante olhando para o céu na Chapada dos Guimarães

Gigante olhando para o céu

Mirante do Centro Geodésico

É onde encontra-se o marco de distância de 1600 km do Oceano Pacífico e Atlântico e que também guarda uma das mais belas vistas da planície pantaneira e de onde pode ser observada a cidade de Cuiabá. Percorrendo a rodovia MT-251 no sentido Chapada/Campo Verde o mirante fica a 9 km do centro da cidade, do lado direito da rodovia, e não há cobrança de ingresso ou horário para visitação.

Mirante do Centro Geodésico

Paredões avistados do mirante do Centro Geodésico

Centro Geodésico na Chapada dos Guimarães

Vista do Vale

Vale do Rio Claro

Para visitar o vale, que fica a 20 km do centro da cidade no sentido Cuiabá/Chapada, é necessário estar acompanhado de um guia de turismo autorizado pelo Parque Nacional da Chapada dos Guimarães e com veículo 4×4. O ponto mais alto do vale é a formação conhecida como Crista do Galo, de onde se tem uma visão 360° dos paredões que o cercam. Além da bela vista, o local também conta com trilhas que levam até uma piscina natural conhecida como Poço da Anta, que fica próximo a nascente do Rio Claro e onde se pode nadar e praticar mergulho livre, e ao Poço Encantado, onde o visitante terá a oportunidade de realizar flutuação por cerca de 30 minutos até o Poço Verde.

Poço encantado no Vale do Rio Claro na Chapada dos Guimarães

Poço Encantado

Poço Verde no Vale do Rio Claro na Chapada dos Guimarães

Poço Verde

Crista do Galo na Chapada dos Guimarães

Crista do Galo no Vale do Rio Claro

Nos últimos dias de viagem fiquei hospedada no Hostel Pousada Safari em Cuiabá, um lugar que recomendo para mochileiros, pelo custo-benefício. Neste período fiz um tour de um dia para o Pantanal, incluindo safári fotográfico, percorrendo 65 km da rodovia Transpantaneira.

Transpantaneira no Pantanal

Pórtico de entrada à Transpantaneira

Safári Fotográfico na Transpantaneira

Espécie de pássaro avistado durante o safári

Jacaré no Pantanal

Jacaré quase submerso tentando fugir das mutucas (moscas) que costumam ficar em sua cabeça e geram incômodo

Capivaras no Pantanal

Família de capivaras

Tuiuiú no Pantanal

Tuiuiú, ave símbolo do Pantanal

A viagem foi incrível e super recomendo essa região do Brasil para os que curtem trilhas, penhascos, cachoeiras e animais selvagens.

Quer saber quanto gastei nesta trip? Confira o post Despesas viagem MS/MT.

Ficou com alguma dúvida ou gostaria de dar uma sugestão? Deixe seu comentário! 😉

Siga Aline Antunes e Click na Viagem no Instagram e acompanhe tudo em tempo real!

Precisando de ajuda para fazer sua mala? Conheça nosso Checklist Organização de Mala, disponível para download gratuito, e o nosso serviço de Organização de Mala Online.

5 comentários sobre “Viajando pelo Mato Grosso: 8 cidades em 26 dias

    1. Click na Viagem Autor da Postagem

      Oi Nicole,
      Muito obrigada! Ficaria muito feliz se continuasse acompanhando as novidades no site 🙂
      Bom, um dia em Cuiabá, recomendaria o Parque das Águas, um day-use no SESC ou um bate-volta até a Chapada dos Guimarães, o que pode ser feito até de ônibus.
      Quanto a Campo Grande, a Feira Central é um programa interessante e um passeio pelo Parque das Nações Indígenas.
      Espero ter ajudado.
      Abs

    1. Click na Viagem Autor da Postagem

      Oi Silvana! Muito obrigada 🙂
      Os gastos estão sendo mensurados e em breve vou publicar um artigo tratando somente deste assunto.
      Abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *